Tudo Pode ser Real - Especial de Natal

comment2visibility56
Há 1 mês

As histórias curam, elas machucam e nos contam a realidade e a irrealidade dos fatos. As histórias são o meio que encontramos para eternizar o que chamamos de "acontecimentos da vida".

Mas o que vou contar agora, não é apenas uma história, não é apenas uma fábula que serve para dar medo a crianças desavisadas... O que você está prestes a saber é que, as histórias, se contadas várias e várias vezes, elas se tornam reais.

Tudo começa com uma família feliz e cativante, decorando sua casa para o Natal, algo que, para eles, era mais esperada do que qualquer outra data do ano. Ainda faltavam alguns dias para o tão esperado momento, mas eles estavam eufóricos.

Sr. James, era o avô contador de histórias. Segurando sempre sua bengala marrom, ele amava juntar a família, nas noites de sábado, para contar algumas de suas incríveis histórias de fantasias e terror, algo que seus netos adoravam e não ficavam sem ouvir. "Não tenham medo, é apenas uma história", ele dizia toda as vezes que terminava de contar.

Os dias se passaram e a véspera de Natal logo chegara. Todos haviam acordados animados para se prepararem para a noite. A mãe Dulce distribui tarefas para cada um de seus três filhos. O pai Calton também não ficou de fora. Para ele, Dulce havia incumbido a tarefa de ir ao mercado e comprar os matérias para a ceia na noite. Um sentimento de alegria havia no ar.

A tarde, após o almoço, o avô James decidiu reunir toda a família para lhes contar uma nova história, uma que, segundo ele, ainda não havia contado para eles, mas que essa história era passada de geração a geração. Todos ficaram entusiasmados para ouvir o que o avô James tinha para lhes contar.

Alguns minutos para retomarem os afazeres, a mãe Dulce, o pai Calton e seus três filhos, sentaram-se no chão da varanda, enquanto o avô James, segurando sua bengala marrom, lhes contava uma pequena história de Natal.

"Em uma noite de Natal, uma família se reuniu em frente a lareira de sua casa. Algo costumeiro que faziam todas as noites do dia 24 de dezembro... Mas nesse dia, Charly não estava muito feliz pois, seus dois filhos haviam sido desobedientes de mais o ano inteiro... Então, para puni-los, ele disse que a meia-noite daquele mesmo dia, um Papai Noel diferente iria visitá-los, um Papai Noel chamado Krampus. As crianças então, ficaram confusas sem entender o que seria essa figura natalina, mas Charly disse que Krampus era um ser mitológico que vinha, toda a noite de Natal, para levar as crianças desobedientes e mal criadas o ano todo. Elas, por suas vez, eram colocadas dentro de um saco enorme e levadas para servir de jantar a Krampus e toda a sua família. As crianças ficaram apavoradas com a história. Charly, vendo que seu plano havia dado certo, deu um sorriso sarcástico e disse para elas terem cuidado com o Papai Noel do mal. Na manhã seguinte, as crianças foram chamadas para as festividades natalinas, afinal, era dia de Natal, mas nada pode ser ouvido. Elas haviam desaparecido misteriosamente. Charly sabia que sua história era verdadeira e sabia o que tinha acontecido, o fazendo cometer suicídio no dia de Natal. Está casa foi onde Charly se matou e seus filhos desapareceram... Vocês não foram desobedientes esse ano não é? Mas não tenham medo, é apenas uma história."

Eles riram vendo o medo estampado no rosto dos pequenos. "Vamos retomar os preparativos para a noite", disse Dulce levantando-se do chão. Foi um dia trabalhoso, mas eles sabiam que valeria a pena.

A noite chegou e a mesa estava farta, repleta de tudo que eles mais gostavam. Muitos familiares chegaram para festejar a magia do natal. Todos se confraternizando, se abraçando e trocando presentes, meia-noite havia chegado e era natal.

Após muita diversão, todos foram dormir, mas as três crianças não haviam esquecido a história do avô James, nem o tão temido Krampus. Elas foram desobedientes em alguns momentos do ano, mas estavam torcendo para que o mostro relevasse suas traquinagens.

De madrugada, elas ouviram passos pela casa. Assustadas, se juntaram em uma só cama se embrulhando com o cobertor. Ouvindo o barulho da porta do quarto ao lado abrindo, elas ficaram ainda com mais medo. Ouviram quando gritos ecoaram por toda o lugar. Algo estava matando sua família.

Elas ouviram quando sua mãe gritou e algo como o quebrar de ossos a fizeram se calar. Algo como um animal devorando pedaços de carne puderam ser ouvido. O choro baixinho das crianças eram quase imperceptível.

Eles ouviram como se algo fosse arremessado na parede sendo devorado logo em seguida. Um silêncio ensurdecedor pairou no ar, junto passos lentos e algo sendo arrastado. Poderia ser algo da imaginação delas, mas as três crianças ouvindo a mesma coisa seria algo não tão comum. Ranger de dentes e um grunhido de animal feroz foi se aproximando até chegar na porta do quarto das crianças e parar.

Lentamente, ela foi se abrindo... As crianças começaram a gritar desesperadamente quando, uma delas, se levantou e acendeu a luz do abajur, revelando a criatura grotesca que ali na porta estava. Com roupas de Papai Noel sujas de sangue e uma gosma fedída, deu alguns passos e adentrou no quarto.

Segurando sua bengala marrom e lambendo o sangue que ainda escorria por seus lábios, ele disse: "Não tenham medo, é apenas uma história."

Comentários

Anônimo
Que incrível
16/12/2020
Anônimo
Muito bom
20/12/2020