As redes sociais estão cheias de trends e modas a serem lançadas, sempre colocando coisas novas a cada semana que passa. Músicas, memes e muitas outras coisas circulam deixando seus usuários mais cheios de novidades e hipnotizados com toda essa gama de, digamos, atualizações.

Como qualquer outro jovem sem ter muito que fazer no decorrer do dia, acabei aderindo a essas brincadeiras como danças, algumas trends e trolagens. Mais recentemente, surgiu uma brincadeira um pouco estranha, mas resolvi aderir, afinal, não precisaria de ninguém para fazer, apenas de dinheiro. A brincadeira era comprar um sapato All Star e pintá-lo com uma tinta vermelha como se tivesse acabado de cometer um homicídio, tirar foto e postar no Instagram.

Muitas pessoas estavam fazendo isso, alguns amigos meus também começaram a postar fotos dos seus sapatos sujos de “sangue” e ganhando bastante curtidas. Não querendo ficar de fora dessa, pedi o cartão do meu pai e fui ao shopping comprar o sapato. Escolhi um bege para que a tinta ficasse mais realista, então fui para casa para começar a pintá-lo.

Talvez você deve está pensando agora: “Só perca de dinheiro comprar um sapato novo e estragar pintando.”. Acredite, também pensei a mesma coisa que vocês, não queria estragar um sapato que custou um bom dinheiro por causa de uma brincadeira idiota, por isso usei uma tinta que sai com agua, assim depois que pintasse e tirasse as fotos que queria, iria lavar para deixa-lo novinho em folha novamente.

Assim que terminei de pintar, o sapato ficou realmente como se tivesse manchado de sangue, algo bem realista que me deixou bastante satisfeito. Tirei as fotos e mais tarde fui postá-las no Instagram. Cuidei de não demorar muito com a tinta no sapato para que na hora de lavar, não manchasse, e fiquei feliz por ter dado certo. Depois que lavei, nem pareceu que tinha sido pintado em algum momento.

Algumas horas depois que havia postado as fotos, várias pessoas já estavam comentando e curtindo, enchendo meu celular de notificações. Várias pessoas elogiando e dizendo que realmente havia ficado daora. Fiquei satisfeito com todo aquele engajamento e pude ter aquele sentimento de dever cumprido. Fui para a cama feliz naquela noite.

Depois que lavei o sapato, coloquei-o de volta na caixa, queria ir com ele para a faculdade no outro dia. Assim que acordei, fui tomar um banho e me arrumar para sair. Abri a caixa e o sapato estava novamente sujo de tinta, do jeito que eu o havia pintado. Isso me deixou bastante assustado e confuso, eu sabia que tinha o lavado e guardado na caixa limpo, como que isso poderia estar acontecendo.

Imaginei que pudesse ser meus pais querendo pregar uma peça em mim, mas o sapato estava pintado do mesmo jeito que eu havia feito, cada detalhe, eu sabia que havia sido a mesma pintura. Peguei e o levei para lavá-lo novamente, mas dessa vez encontrei um pouco a mais de dificuldade para tirar toda a tinta, mas consegui. Deixei ele secando e fui com meu tênis para a faculdade, mas não consegui tirar o acontecimento bizarro que acabara de ocorrer.

Comentei sobre isso com meus amigos e eles sugeriram a ideia de que eu fosse sonâmbulo e tivesse pintado o sapato novamente. Quem sabe, talvez fosse realmente isso e estava me assustando atoa.

No fim da tarde naquele dia, cheguei em casa e vi meus pais preocupados procurando Buddy, o cachorro da nossa família. Ele era um Golden retriever que meu pai havia me dado quando era adolescente, já havia se tornado membro da nossa casa e nunca havia sumido assim. Fui ajudá-los a procurar, vasculhamos toda a casa e o bairro, mas nada do Buddy aparecer. Cogitamos a possibilidade de ele ter se perdido correndo atrás de algum animal pequeno, então fomos para casa descansar um pouco e no outro dia iríamos esperar para ver se ele voltava.

Quando amanheceu, levantei e fui para o banheiro e assim que passei na porta, algo me chamou a atenção, a caixa do meu sapato estava com algumas gotas de tinta em sua superfície. Me aproximei lentamente e, assim que abri a caixa, o sapato estava novamente sujo de tinta. Dei alguns passos para trás assustado com aquilo e sem entender o que estava acontecendo. Olhei para minhas mãos e não tinha marca de tinta, fui até o armário e vi que a tinta que usei ainda estava no mesmo nível que havia deixado e o pincel estava limpo, do jeito que o havia deixado há dois dias.

Peguei o sapato e o deixei cair no chão quando vi que aquilo não era tinta, mas sim, sangue. Desci as escadas rapidamente, mas parei antes mesmo de falar algo para meus pais. Algo de muito errado e estranho estava acontecendo e não queria ir preso por algo que não sabia o que era. Voltei então para meu quarto e tranquei a porta, peguei o sapato e novamente o lavei deixando-o limpo como no primeiro dia. Coloquei-o dentro de uma sacola e o joguei no lixo, isso já havia ido longe demais.

Pensei e cogitei a possibilidade de eu ter matado Buddy, mas torcia muito para que isso não fosse verdade. Não quis contar nada a ninguém e iria esperar o tempo passar para assim esquecer tudo isso de uma vez. Buddy iria voltar, ele estava apenas perdido, mas nada. O dia passou rápido e logo a noite veio, trazendo em meus pensamentos o medo e a paranoia de está ficando louco. Peguei no sono rápido aquela noite e logo os raios de sol estavam invadindo meu quarto.

Acordei com o barulho das sirenes ecoando por toda a rua. Olhei pela janela e vi que policiais e a ambulância estavam na casa da família Morgan, nossos vizinhos há mais de 10 anos. A senhora Morgan chorava muito e vi que algo havia acontecido com sua filha. Desci as escadas e encontrei meus pais na porta, perguntei o que havia acontecido e eles disseram que o corpo de Anna havia sido encontrado no porão da casa já morta há um dia e agora pela manhã o corpo do senhor Morgan estava no banheiro com várias perfurações de facas.

Abruptamente as lembranças do sapato vieram em minha mente me fazendo suar frio. Subi as escadas e entrei no meu quarto com a incerteza do que estava indo atrás. Olhei para o canto onde ele ficava e o vi, a caixa de sapato estava lá novamente. Peguei lentamente e com meus olhos cheios de lágrimas eu o abri, dentro estava o sapato e novamente sujo de sangue, do mesmo jeito que o havia pintado logo no início.

Eu não conseguia entender o que estava acontecendo, se tudo não era um pesadelo e que logo eu acordaria, ou eu realmente era suspeito de ter matado essas pessoas e ter feito algo com Buddy. Isso não poderia ser real, não poderia.

Antes que alguém visse, novamente peguei o sapato e o lavei, com muita mais força do que das outras vezes, coloquei dentro de um saco e fui até o lago próximo e o joguei tentando me isentar de qualquer acusação. Voltei para minha casa e não saí mais, tudo aquilo estava me deixando apavorado. Meus pais notaram meu comportamento estranho, mas disse que era por conta das provas finais que já estavam chegando.

A senhora Morgan foi levada para a delegacia naquela manhã para dar esclarecimentos sobre o ocorrido, afinal os corpos de seu esposo e de sua filha foram encontrados dentro de sua própria casa, ela era a primeira e única suspeita até então. Não consegui dormir naquela noite pensando em tudo que estava acontecendo, no que tipo de maldição havia feito para mim, no que havia me tornado.

Na manhã seguinte acordei e torci para que tudo isso fosse apenas um pesadelo horrível, mas assim que levantei vi que o pesadelo havia apenas começado. A caixa de sapato estava novamente no meu quarto, mas dessa vez, mais suja de sangue. Meu coração batia freneticamente em total desespero. Vi que a caixa estava molhada e com alguns pequenos galhos secos sobre ela.

Lágrimas escorriam pelos meus olhos à medida que caminhava para próximo à caixa. Ajoelhando-me, fui abrindo-a lentamente, e mais uma vez o sapato estava lá, com a mesma pintura de antes, como se tivesse acabado de cometer um homicídio, só que dessa vez eu realmente acreditei. “Meus pais!”, pensei antes de sair correndo do quarto até a cozinha, não os encontrando. Fui até o quarto deles, mas nenhum sinal de ambos, pensei então em ir até o porão, mas isso me deixava com mais medo e pavor.

Criei coragem e fui até lá, assim que desci as escadas e apertei o interruptor, vi os corpos dos meus pais em uma grande poça de sangue jogados no chão, juntamente com o corpo de Buddy. Antes de qualquer ação minha, olhei para baixo e vi que estava calçado com o sapato que havia comprado, sujo de sangue, como se tivesse saído de um assassinato. Não sei como isso funciona, se é um tipo de maldição ou mesmo algum ritual que liberta algum demônio, mas peço a você, tome cuidado ao fazer alguma brincadeira em alguma rede social, você pode está despertando algo que jamais te deixará em paz.