Os Olhos de Beatriz - Parte 2

comment1visibility39
Há 1 mês

Assim que chegamos em nossa casa, estavam todos reunidos para me receber. Fui sendo apresentada para cada um dos meus familiares. Pude ver quem eram meus tios, primos, sobrinhos... Todos em uma enorme festa.

Minha casa era tão linda. Tinha uma varanda na frente, pintada com uma cor vibrante que minha mãe disse se chamar azul celeste. Após entrar em nossa casa, fui direcionada para meu quarto. Nossa! Era tudo tão lindo. Havia alguns pôsteres, duas janelas e cortinas que combinavam com o papel de parede. Tudo muito lindo.

Após a festa, fui tomar um banho. Tudo era novo pra mim. Me sentia como uma criança que estava aprendendo sobre o mundo. Estava no box sentindo a água percorrer pelo meu corpo e, quando abri os olhos, vi a forma de uma jovem entre a cortina do banheiro. Gritei de susto, pois sabia que estava só ali. Meus pais correram para lá gritando meu nome. Perguntaram o que havia ocorrido e disse que só me assustei achando que tinha visto alguém.

Como era a primeira vez que enxergava tudo em minha volta, meus pais me disseram que seria por conta de estar me adaptando com minha nova perspectiva, nova vida. Após o banho, nos reunimos na varanda de casa e fomos contemplar as estrelas. Tudo tão lindo... Tudo tão belo. Era a primeira vez que estava vendo o céu à noite. As estrelas, a lua. Tudo junto pintando o escuro universo com pontas de luz. Dormimos ali mesmo aquela noite.

Algumas semanas se passaram e eu cada vez já me adaptando com minha nova visão. Mas algumas coisas começaram a ficar estranhas depois de um mês. Comecei a me sentir vigiada por alguém. Não sabia exatamente o que era isso, mas sentia uma sensação estranha.

Diana era nossa vizinha a vários anos e pude conhecê-la no dia em que voltei para casa. Era uma senhora amável e dedicada com seu esposo. Moravam sozinhos pois seus filhos já haviam se casado e viviam em seus lares. Um dia, no café, uma forte dor de cabeça tomou conta de mim, então, vi em minha frente a senhora Diana sendo esfaqueada por um homem de capuz. Não conseguia entender aquilo, mas fiquei paralisada, não conseguia me mexer.

Via ele esfaqueá-la várias vezes e ela só se debatia. Quando o homem viu que já havia matado-a, limpou sua faca e saiu pela porta da casa da senhora Diana. Quando retornei, comecei a gritar assustada com o que vi. Minha mãe tentou me acalmar mas em vão. Fui levada para o hospital para alguns exames e nada constou nos resultados. O médico disse que seria apenas ilusões, pois nunca havia visto antes.

No dia seguinte, o que vi, aconteceu. A senhora Diana foi brutalmente assassinada por um homem de capuz, do mesmo jeito que vi. Ele invadiu sua casa e a matou. Foi um roubo frustrado. Fiquei bastante assustada com aquilo e também meus pais. Algo de estranho estava acontecendo e eu não sabia o que era.

Os dias se passaram e, novamente, tive um outro tipo de visão. Dessa vez, com meu primo. Via ele em uma corrida de moto, o que chamavam de "rachas". Um carro cruzou em sua frente e ele o acertou em cheio. Vi seu corpo ser jogado longe e se despedaçar no chão. Soltei um copo que estava segurando que veio a quebrar. Minha mãe correu em minha direção e perguntou o que tinha, se estava bem. Falei que sim. Não iria falar para ela o que tinha acontecido. Resolvi esperar pois, poderia ser apenas algo da minha mente.

No outro dia, meu primo morreu no acidente de moto. Contei para meus pais, mas como na primeira vez, não se importaram muito. Eu não queria mais estar vendo isso. Por que eu estava vendo essas coisas?

Dois dias depois do acidente do meu primo, estava deitada quase pegando no sono quando eu a vi novamente, mas dessa vez mais nítida. Vi a jovem de cabelos lisos ao lado da minha cama, em pé. Seu rosto não havia expressão e seus olhos, estavam totalmente brancos. Soltei um grito aterrorizada com o que via. Meus pais correram para meu quarto assustados. Falei o que havia acontecido mas eles disseram que não havia ninguém no quarto e que era apenas um sonho. Sabia que não era. Isso tudo teria que ter uma explicação...

Continua...

Comentários

Anônimo
Muito bom
16/12/2020