Os Olhos de Beatriz - Parte 1

comment1visibility33
Há 1 mês

Uma das melhores coisas da vida é conseguir enxergar tudo em nossa volta. Os outros sentidos como paladar, olfato, tato, também são importantes, mas a visão é a mais bela e importante de todas.

Infelizmente, não tenho essa alegria que todos têm de ver cores, objetos, pessoas... Nasci com uma doença rara que afetou meus olhos, e por conta de disso, sou cega. Mas nunca reclamei, pois tinha uma vida feliz com pessoas que me amavam, sendo que nunca as vi.

Mas isso está prestes a acabar. Minha mãe havia me colocado na vila de transplante de córneas há 2 anos e hoje recebemos a grande notícia de que eu havia sido contemplada com os olhos de uma jovem com a mesma idade que a minha. Ela morava no México, mas para mim, não importava a distância, mas que realizaria meu sonho de ver pela primeira vez.

Passei alguns meses me preparando para a tão esperada cirurgia, até que chegou o grande dia. A jovem que estava doando seus olhos se chamava Beatriz, e a causa da morte não foi revelada a nós. Achei estranho no início, mas acreditei que fosse por ordem dos seus pais para não constranger ou algo assim. Não sei.

Entrei na sala de cirurgia e os médicos começaram com o transplante. Demorou cerca de 4h, mas ocorreu tudo bem e a cirurgia foi o maior sucesso. Tive que ficar em observação pro alguns meses antes de tirar as ataduras dos meus novos olhos.

Passado alguns meses, o médico veio me examinar para ver como estava o processo de recuperação e o que ele me diz faz meu coração disparar. Após sua análise, ele disse que já poderia tirar a venda em no mínimo 3 dias. Finalmente poderei enxergar, ver o céu, as flores, conhecer o rosto dos meus pais.

Passou então os 3 dias e finalmente pude tirar o curativo dos meus olhos. Minha mãe estava ao meu lado segurando minha mão, assim que a enfermeira foi tirando a atadura. Após ela ter tirado, pediu para que eu abrisse os olhos devagar, e foi o que fiz.

Fui abrindo meus olhos, gradativamente. A luz da sala incomodou minha visão e fechei novamente, mas não conseguia conter minha alegria, pois tinha visto a luz pela primeira vez. Após alguns segundos, abri novamente e minha visão foi se adaptando com a luz da sala. Ainda estava tudo embaçado, mas, pouco a pouco, todas as coisas iam se tomando forma.

Vi uma sala branca, com alguns vasos de flores espalhandos para decorar. Vi uma mesa pequena, a janela do quarto. Olhei para o lado e vi a mulher mais linda do mundo. Vi pela primeira vez o rosto da minha mãe. Cabelos loiros, olhos claros, pele branca e macia. Choramos juntas por alguns minutos.

Estava abraçada com ela quando vi, ainda com um pouco de embaçamento nos olhos, uma jovem com os cabelos pretos e lisos no canto da sala. Perguntei para minha mãe quem era ela, minha mãe olhou por toda sala e perguntou: "Ela quem?". Quando olhei novamente, não havia ninguém. "Nada mãe..." - disse.

Continua...

Comentários

Anônimo
Ansioso pela continuação
16/12/2020