Data 25/08/2016

Deus não é responsável somente pelas coisas boas que acontecem no mundo e eu descobri isso da pior forma.

Eu sou Isaque, estou um pouco nervoso, é o meu primeiro dia como pastor, bem, é a primeira vez que eu tenho uma igreja minha, eu já pregava em outras igrejas, mas era apenas mais um pastor, essa é minha… Eu sou o pastor presidente, estou um pouco ansioso… Começou o culto, a igreja é bem grande mas eu não consigo desfiar a atenção da terceira fileira, não sei oque tanto me interessa lá, bem, tem um grupo de crianças, eu não entendo muito bem oque eu estou sentido, eu estou ficando excitado, por isso?…

Fiz rapidamente a abertura do culto de inauguração dá igreja e passei a oportunidade para os visitantes fazerem apresentações e corri para o banheiro para me masturbar, era difícil me conter e mais difícil ainda entender oque estava acontecendo, eu estava ficando excitado com crianças, aquele não era o meu normal… Fiquei no banheiro pensando em tudo por um tempo, após relaxar um pouco eu voltei ao templo para concluir o culto…

Todos foram para o lado de fora dá igreja, o culto havia acabado, e eu me ajoelhei para orar, precisava perguntar a Deus oque eu deveria fazer, eu queria aquelas crianças, eu ficava excitado só de pensar, apenas aquelas 3 me eram suficientes… Um casal de Gêmeos Elton e Eltina, loirinhos, tinham 4 anos, uns amores de crianças, é a Jéssica, que tinha 5 aninhos, jovem Jess.. Eu os desejava, fiquei pedindo a Deus e perguntando oque iria fazer… Acabei dormindo ali junto ao altar…

Quando acordei já era de manhã o chão dá igreja estava coberto de sangue, as três crianças estavam caídas ali, todas nuas, Eltina estava sem a cabeça, Jéssica e Elton com cortem em todo o corpo… Quando olhei melhor pude ver, Jéssica estava com a cabeça virada para as costas. Eu estava coberto de sangue, próximo a mim, lâminas, facas e cordas, eu não podia ter feito aquilo… Eu fiz aquilo!?

– Acorde! Isto é o suficiente para nossa sessão de hoje. – Disse a Psicóloga enquanto ele acordava ainda deitado no divã.

– Tivemos algum resultado desta vez nessa regressão? – Perguntou ele.

– Bem, hoje você começou a falar, vamos ver nas próximas semanas como você irá responder a essa abordagem, por enquanto tudo ainda está muito confuso. – Disse a Psicóloga enquanto fechava seu caderno de anotações.

Data 01/09/2016

– Quando eu terminar a contagem você voltará na noite em que tudo ocorreu, mais precisamente ao terminar o culto… 3…2…1…

– Eu sou Isaque, hoje foi meu primeiro dia como pastor de minha própria igreja, acabei de acordar, eu estava dormindo no chão, não sei porque mas eu preciso conseguir que os pais de 3 crianças deixem elas passarem a noite comigo, isso vai ser fácil, todos me conhecem e gostam de mim… Eu estou indo até os pais e falando com eles, todos concordaram, as crianças foram para dentro do templo e os pais foram embora, eu agora posso fazer oque eu quiser com elas, e eu farei.

Eu entrei na igreja e tranquei todas as saídas, mandei que elas tirassem as roupas, inocentes elas tiraram, Jéssica ficou um pouco tímida, mas eu a ajudei, eu beijei sem pescoço e mostrei a ela que sou seu amigo, ela confia em mim… Para podermos brincar eu também tirei a minha roupa, elas correram um pouco para longe, acho que não estavam acostumadas a verem algo tão grande… Eu mandei que Eltina se aproximasse e ela veio, então proprus uma brincadeira, eu a amarrei toda e coloquei um pano em sua boca, logo os outros dois se interessaram pela brincadeira e vieram para brincar tbm, eu os amarrei da mesma forma, então peguei a Eltina para brincar primeiro…

Eu coloquei-a deitada no chão de barriga para cima e meti nela, o ela tentava gritar e se soltar, mas eu era mais forte, meter nela me deixou mais excitado, eu queria morder ela, me segurei o máximo que pude, eu queria deixar eles vivos, mas não consegui. Eu mordi sua bochecha e seu corpo, e cada vez eu metia mais forte, ela chorava implorando por ajuda, sua vagininha sangrava mas eu não podia me conter… Eu tinha que fazer aquilo. Ela ficou caída alí no chão, eu a deixei ali, seu rosto sangrava, seu corpo sangrava, ela havia desmaiado com tamanha dor…

Então peguei o Elton, eu nunca havia pensado em tranzar com um menino, mas não conseguia me conter naquele momento, eu masturbei ele e o coloquei para me chupar, eu o sufocava com meu pênis enquanto ele se debatia e chorava, eu meti no ânus dele, tirei sangue assim como também faria com a Jéssica, bati muito nele, eu queria ele gritando e chorando de dor…. Nem mesmo eu sabia o porque eu que queria aquilo. Quando eu gozei eu dei uma porrada tão forte na cara dele que ele parou de se mexer, seu nariz sangrava muito, acho que eu o matei… Eu certamente o matei…

Agora era a vez da Jéssica, eu fiz tudo oque fiz com os dois e mais um pouco com ela, me surgia um novo desejo, eu queria fazer cortes, eu peguei lâminas de barbear e uma faca, fiz cortes em todo o corpo dela enquanto eu metia forte, ela chorava muito, mas eu a coloquei para fazer oral e ela me mordeu, no mesmo instante eu quebrei o pescoço dela, a cabeça ficou virada para as costas…

Eu ainda não havia acabado e para a minha felicidade a Eltina acordou, não dei muito tempo para ela, oque eu queria fazer não precisava de que ela estivesse consciente, com um facão eu arranquei fora a cabeça dela, eu queria meter na cabeça dela e assim eu fiz, eu fodi com o buraco a aberto no corpo dela… Depois disso eu me sentei na beira do altar e dormi….

– Acorde! Este é o fim de mais uma sessão – Disse a Psicóloga enquanto o observava com lágrimas escorrendo dos olhos…

– Oque houve? oque eu te contei, porque você está chorando? – Perguntou o paciente.

– Não se preocupe, na próxima sessão conseguiremos resolver…

– Faz 16 Anos que eu vivo em um hospital psiquiátrico, eu não tenho vida, eu não consigo fazer nada, meu cérebro se recusa a armazenar lembranças… Eu preciso saber oque está havendo comigo, eu não lembro de nada, lembro muito pouco do último ano… Eu preciso saber oque aconteceu… Estou cansado de todos me olharem como se eu tivesse feito algo terrível, mas ninguém me conta oque aconteceu… Oque eu fiz?

– Eu lhe entendo… Na próxima sessão eu deixo que veja tudo…. – Insistiu a Psicóloga…

Data 08/09/2016

– Vamos voltar a noite em que tudo ocorreu, desta vez, tente se lembrar de onde você estava, quem era você, você não era o pastor…. 3…2…1…

– Eu tinha 4 anos, meu nome era Isaque, minha irmã gêmea se chama Jaqueline, era o primeiro culto na igreja do pastor Elton, ele estava me olhando muito, aquilo me assustava, eu o volume nas calças dele, eu estava com medo…. Ele saiu do altar e foi para o banheiro, ficou lá por muito tempo, no final do culto ele subiu novamente ao altar e concluiu a festividade, todos foram para fora do templo. Eu observei quando ele se ajoelhou no altar, a igreja estava fechada mas eu podia ver pela porta de vidro, ele ficou ali até que sentou no chão e dormiu por alguns segundos.

Ao se levantar ele foi falar com meus pais e com os pais da Jéssica, disseram-me que eu passaria a noite com o pastor, eu fiquei com muito medo mas fui junto com minha irmã e a Jéssica para dentro do templo. Não demorou muito e ele entrou, mandou que tirassemos a roupa, homem nojento, Jéssica estava envergonhada e então ele tirou a roupa dela, após isso ele também tirou a dele, eu estaca muito assustado então me afastei junto com as duas meninas.

Ele chamou por minha irmã e ela foi, ele a amarrou, falou que era uma brincadeira e amarrou eu e Jess também, depois disso tudo começou… Ele violentou minha irmã na minha frente, depois fez o mesmo comigo, até que ele acertou meu rosto e eu desmaiei, acordava de relance e via pouco do que ele estava fazendo, ele machucou muito Jess e arrancou a cabeça da minha irmã, eu fiquei ali, deitado em uma poça de sangue sem poder fazer nada…. Até que eu acordei em um hospital, a notícia no jornal dizia que ele ainda estava solto…

– Eu lembro de tudo – Desse Isaque ao se levantar assustado

– De que você lembra? – Perguntou a Psicóloga assutada.

– De tudo, dos meus pais, daquele dia, dos últimos 16 anos da minha vida… Eu lembro de tudo…

– E como você se sente? – Perguntou ela

– Dói… Dói muito…. – respondeu Isaque…

Isaque e a Psicóloga conversaram muito sobre aquele dia e sobre como superar tudo oque ele havia lembrado, mas Isaque não foi forte o bastante, toda a dor que ele sofreu, passar pelo que passou, perder toda a sua vida e o Filho da puta ainda continuar livre… Isaque cometeu suicídio em seu quarto no dia 09/09/2016.