O Palhaço - Parte 2

comment2visibility253
Há 3 semanas

Com meus olhos fechados, senti sua mão segurar a minha. Uma mão gelada e com aspecto gosmento... Ele me disse:

-Agora veja...

Então, de olhos fechados, vi uma fumaça densa se formar em minha frente. Um homem estava a brincar com uma criança. Eles estavam em frente a uma casa grande com janelas e uma porta no meio. Estava pintada de cor avermelhada com um pequeno jardim na frente. Estavam brincando de futebol, e pareciam ser pai e filho.

O palhaço então aproximou sua boca do meu ouvido e disse:

-Conhece esse rapaz? "Acenei com a cabeça negativamente."

-Esse rapaz é você. E essa criança é seu filho Pitter. Posso lhe dar uma vida de alegria com uma família linda.

Nesse momento, uma linda jovem saiu de dentro da casa. Cabelos pretos, olhos verdes, pele morena. Estava vestida com um vestido azul de seda. Veio e abraçou a criança que correu em sua direção.

-Uma esposa que te ama e um lar feliz. Posso te dar tudo isso Pitter, se você fizer um pacto comigo. Não se preocupe que nada acontecerá com você, apenas quero ser seu dono. Você viverá uma vida linda e feliz com uma família maravilhosa, durante 50 anos. Depois desse tempo, virei até você, mas isso não importa agora. Você aceita?

Balancei a cabeça negativamente dizendo NÃO. Nesse momento senti sua mão apertar meu ombro como forma de decepção. Ele então disse:

-Agora veja...

A fumaça se discipou em minha frente e se formou em outra imagem. Agora, via um jovem muito bem arrumado, em uma boate com vários amigos e muitas mulheres lindas. O palhaço, se aproximando novamente de meu ouvido, disse:

-Posso fazer você muito rico, cheio de mulheres lindas todos os dias se assim preferir. Com muito dinheiro para comprar tudo o que deseja... Casas, carros, motos... Pode ter qualquer coisa que o dinheiro puder comprar, só preciso que faça um pacto comigo Pitter.

Novamente, como já esperava, balancei minha cabeça negativamente. Não conseguia correr, gritar ou fazer algo que me tirasse do transe em que estava. Somente podia responder as suas perguntas dizendo sim ou não.

Quando disse NÃO, senti novamente meu ombro ser apertado, só que dessa vez, um pouco mais forte. Senti a raiva dentro dele querer sair... Uma respiração forte com um hálito podre vinha em minhas narinas quando, novamente, ele se aproximou de meu ouvido e disse:

-Agora preste atenção Pitter, porque essa será minha última oferta.

Novamente, a fumaça que na minha frente estava, se discipou e formou outra imagem, mas dessa vez, o que vi, não foi algo que me deixasse em dúvida do que aceitar. Não podia dizer não dessa vez... Não podia...

...continua

Comentários

Anônimo
Que obra de arte cara... Você é incrível. Esperando ansioso pela parte 3.
09/11/2020
Anônimo
POR ISSO QUE SE EU VER UM PALHAÇO MATO ELE
22/11/2020