Uma decisão nunca é tomada sem haver desejo, mesmo que inconsciente.

Se você optar por uma vida, você deseja que ela seja mantida, assim como se você optar por poder, você deseja tê-lo. Tudo tem um custo e quando você analisa o custo x benefício, é aí que você descobre o que é mais importante. Não é tão difícil sacrificar a pessoa que você mais ama, quando na verdade, você ama o poder acima de tudo.

Um estrondo, como uma vibração grave foi ouvido pelos demais. Um som seco como de uma implosão. A essa altura, nada mais era seguro, qualquer passo naquele castelo poderia significar uma morte e ficar parado não era garantia de vida para ninguém.

Era difícil saber exatamente onde havia acontecido o estrondo, afinal, as paredes vibraram por todos os lados, mas era possível ter uma ideia do epicentro, então todos correram para a direção do epicentro.

- Eeeeeeei, se eu ficar aqui assim vou morrer, bando de filho da puta – David gritou de onde estava, mas como todos haviam corrido em direção ao epicentro, ninguém o escutou.

O grupo começou a gritar o nome dos membros não presentes já preocupados e receosos com o que iriam encontrar pela frente, mas ninguém respondia, afinal, dois estavam mortos e outros dois que ainda estavam vivos eram Dean em estado de choque completamente mudo e João, o carnífice membro que saiu do local e era um potencial perigo a solta.

Na hora em que Dean começou a ouvir os membros próximos do local chamando por ele e os outros, um golpe de realidade extra dosado de adrenalina e noradrenalina o pegou em cheio.

Dean olhou em volta do cômodo coberto de vísceras e sangue por todos os lados do chão até o teto, aquele forte cheiro de sangue que subitamente seu cérebro assimilou ao cheiro de morte.

Dean foi enchendo o peito de ar sem perceber enquanto passava os olhos pelo chão onde estavam diversos pedaços do Tio Lu, até que próximo de si, se deparou com o crânio sem o maxilar e aberto na nuca, por onde o cérebro escorreu como pasta e como a cereja deste bolo de carne, o corpo de Ghost caído com os olhos abertos e ainda regurgitando sangue devido a profunda perfuração na garganta.

Nesta hora, Dean já estava a plenos pulmões e gritou alto e forte como se sua vida dependesse disto.

- Ali, naquele quarto!! – JC apontou a direção e todos correram até lá.

JC foi o primeiro a chegar na cena e estarrecido entrou devagar. Não tinha como saber quantos estavam mortos ali.

Jeren tentou entrar, mas a cena era tão pavorosa que se virou no instante em que olhou e os demais apenas se amontoaram na porta incrédulos e apavorados.

- Dean, o que aconteceu aqui?? – JC questiona devagar, mas totalmente impossibilitado de esconder o medo da resposta.

Dean se encosta na parede como se quisesse ultrapassá-la e não tira os olhos do chão, mas não responde JC, como se ele não estivesse ali.

Khing entra na sala e tira Dean do cômodo puxando com certa intolerância, tentando o máximo não ser estúpido.

No corredor, Khing encosta Dean na parede e olhando no fundo dos olhos dele repete a pergunta de JC:

- Dean, o que aconteceu aqui?

Khing então é empurrado.

- Sai de perto de mim!! – Apesar do empurrão, Dean parecia mais assustado do que com raiva.

Vicky e Karma chegaram perto de Dean, Karma olhou para Khing com um certo desprezo, mas não disse nada.

Vicky então disse para Dean:

- Dean, sabemos que você passou por momentos terríveis, mas cada minuto em que ficamos parados aqui, corremos ainda mais perigo e outros de nós pode morrer.

Chaos sai de dentro do cômodo já interrompendo a conversa:

- Gente, lá dentro está o corpo do Ghost com a garganta rasgada e os pedaços são do Tio Lu, deu pra ver pela cabeça parcialmente inteira.

- Foi o João! – Afirmou Dean e logo continuou antes que pudessem dizer algo: - Quando eu e o tio Lu chagamos no quarto em que estava João e Ghost, vimos Ghost morto. Eu tentei fazer algo, mas era tarde, já o Tio Lu quando foi em direção ao João, João apenas estalou os dedos e aconteceu toda essa desgraça que vocês viram.

JC olhou para Khing discretamente e Khing balançou a cabeça em sinal positivo.

JC começou a rir, uma gargalhada de satisfação foi se formando.

- Cara, você ta me assustando... – Disse Jeren olhando para JC.

JC começou a caminhar por entre os membros enquanto ria com a face voltada para o teto.

- E não é que o desgraçado conseguiu? – Disse JC em uma pausa na sua risada dramática.

- Conseguiu o que JC? Você enlouqueceu?! – Questionou Vicky visivelmente apreensiva.

- JOÃO, VOCÊ TEM A MINHA ADMIRAÇÃO E MEU MAIS PROFUNDO RESPEITO!!! – JC gritava ainda olhando para cima sem desfazer o sorriso no rosto.

- JC FALA LOGO O QUE TA ACONTECENDO! – Karma visivelmente sem paciência gritou com JC.

JC com expressão de desdém, baixou a cabeça, ajustou os óculos no rosto e começou a explicar:

- Bem... Digamos que estarmos aqui não foi um mero acidente. Há alguns meses estudei sobre um certo alguém e este alguém possuía um vasto conhecimento das artes místicas e ocultistas.

Resumidamente, descobri possibilidades de ser grande nesta vida e obter tudo o que eu desejo de forma mais rápida e eficaz.

Absorvi tudo o que eu pude e consegui dominar a arte de manipular a realidade em um limitado espaço.

- Você não seria capaz de causar mortes entre nós apenas para testar essa idiotice. – Disse Vicky não acreditando que aquilo fosse real.

- Mas e o João? Você quem transformou ele naquilo?! – Perguntou Dean ainda em choque.

- O João? Não mesmo! Ele tem os seus próprios interesses nisso e se aliou a mim porque seria mais fácil chegar aonde ele quer tendo aliados. – Respondeu JC.

- Como assim aliados? Além de vocês mais alguém está envolvido nessa história doentia? Só pode ser o David, eu o odeio! – Jeren foi se aproximando de Khing que estava próximo a ele e foi tomando mais distância de JC.

- Na verdade, querido Jeren... – Khing prende Jeren que estava de costas por entre os braços erguendo-o do chão enquanto JC conluía: - Khing é nosso aliado também.

Khing estava com os olhos pretos novamente e uma expressão muito maligna.

Jeren não conseguia falar já que Khing estava esmagando-o.

- PARA COM ISSO!!! – Gritou Karma indo em direção a Khing, mas Khing aperta ainda mais Jeren sendo possível ouvir um estalo que provavelmente era de uma das costelas de Jeren.

- Se chegar mais perto, vou partir ele ao meio e mato você em seguida. – Respondeu Khing.

- Como você pôde JC? Achei que todos fôssemos amigos... – Karma estava com os olhos cheios de lágrima.

- Não me leve a mal, tudo era necessário. Este castelo contém um portal para onde irá nosso último esforço para obter o que queremos, por isso estamos aqui.

Nós três trouxemos cada manequim, eles eram necessários para que eu pudesse manipular a realidade e usá-los no plano, foi assim que forjei a morte de João, enquanto isso deixei ele onde Khing o encontrou. Por este mesmo motivo, alguns de vocês tiveram visões de seus contos através dos manequins, ninguém melhor do que eu para fazer tal coisa.

João estava na realidade em uma câmara ritualística, doando sua energia vital para evocar uma criatura do submundo. Esta criatura é muito hostil e pode assumir o corpo de alguém até dominar completamente, porém se for expurgada antes e da maneira correta, a criatura morre, mas os poderes sobre-humanos dela ficam no hospedeiro.

Desta forma Khing obteve tudo o que era necessário para nos ajudar com o plano, mesmo que estando corrompido, se torne muito violento.

Quando expurguei a criatura de seu corpo, fui parar em outro plano, o que também era necessário para que eu pudesse me tornar um corrompido, já que retornando a vida eu me tornaria um. Bastava apenas esperar que uma de minhas ovelhas desesperadas, trocasse de lugar comigo. Admito que foi arriscado, mas a chance de acontecer era muito alta, vocês são muito dependentes.

Chaos entendeu perfeitamente que poderia morrer assim que qualquer um dos três decidisse matar e começou a chorar.

- Uma vez ouvi que a raiva é mais útil que o medo. – Khing apertou Jeren até que muitos estalos pudessem ser ouvidos e começasse a jorrar sangue pela boca de Jeren enquanto seus olhos saíam das órbitas. – Está com raiva agora, Chaos? Diga que sim, porque eu quero um desafio maior! – Khing sorria friamente enquanto largava o corpo de Jeren retorcido e destroçado no chão.

- Não, não, não...

– Dean desesperado com a cena, pega um dos cacos de vidro de um quadro que caiu e se quebrou depois da explosão do corpo do Tio Lu. – Eu não vou ser parte dessa merda toda que vocês me arrastaram.

- DEAN, NÃO FAZ ISSO!!! – Vicky gritou, mas não a tempo de impedir...

Dean empurrou o caco profundamente na própria jugular, bateu com as costas na parede e lentamente foi caindo sentado enquanto seu sangue jorrava e a vida se esvaía, tornando o olhar vazio até se fechar completamente.

- Que merda! Precisamos de uma pessoa do sexo masculino, a regra é clara, o sacrifício precisa de três membros corrompidos para conjurar, uma pessoa de Marte e outra de Vênus para sacrificar. – Disse uma voz vinda do fundo do corredor.

Quando os olhos se voltaram para a voz, todos viram João chegando para se juntar aos seus aliados.

- Ah, João, você perdeu tudo. – Disse JC.

- Não perdeu, enxergo perfeitamente mesmo que não haja sequer uma luz no ambiente. Ele estava aqui o tempo todo assistindo a tudo calado. – Refutou Khing. – Além do mais, David ainda está lá embaixo preso. – Concluiu.

- Certo, e qual delas vamos levar então? – Perguntou João

- Tanto faz, eu não vou deixar ninguém vivo. – Respondeu Khing.

- Não, eu quero a Karma. Vicky e Chaos podem ir agora, já tivemos o bastante. – JC parecia ter planos específicos para Karma. – João pegue o David e leve para a câmara no porão, eu vou levar a Karma, ela tem uma aura que nunca vi e parece ser interessante para nós.

Khing, leve nossos convidados até a porta e deixe ir. – Concluiu.

Vocês vão comigo, mas se tentarem qualquer coisa, não esperem piedade da minha parte, eu desconheço esse significado. – Khing disse enquanto olhava para Vicky e Chaos.

Ao chegarem na porta principal que estava aberta agora, Khing deixou Vicky e Chaos saírem e fechou a porta devagar dizendo:

- Não esqueçam do meu aviso!

Quando Khing chegou a câmara, João e JC já haviam deixado Karma e David postos amarrados e nus sobre duas mesas de pedra que estavam no centro de uma estrela de 8 pontas entalhada no chão.

- Vocês foram rápidos. – Disse Khing.

- Você quem demorou. – Respondeu João e continuou: - Companheiros, estamos agora muito perto da imortalidade e prosperidade infinita. Abra o livro JC.

JC olhou bem sério para João e disse:

- Por acaso foi eu quem usou para matar a pessoa amada? Estava com você da ultima vez!

Khing revirou os olhos.

- Droga, acho que deixei onde matei o Ghost, mas vou buscar, não demoro. – João saiu para buscar o livro.

- Cara, é sério, vai rápido, não tem como fazer isso sem você. – Finalizou Khing.

Duas pessoas sobreviventes, três inimigos poderosos e duas vítimas.

Quais são as chances do bem vencer o mal desta vez?

Somente uma ajuda milagrosa ou um plano extremamente perfeito poderia encerrar de uma vez por todas uma atrocidade como esta. Será que vale a pena trair seus amigos por poder?

Os benefícios podem ser altos, mas o custo é maior ainda.