Não dê carona a noite

comment0visibility18
Há 4 dias

Estava uma noite fria e com uma quantidade razoável de neblina na estrada. Fui visitar meus pais em uma cidade próxima onde morava, já havia alguns meses que não os via, então, resolvi sair do trabalho e ir direto pra lá.

A estrada está diferente desde a última vez que fui visitá-los. Está com um ar sombrio e misterioso. Foi uma viagem de 2h mas foi bom para descansar a mente... Iria me fazer bem os vê-los, precisava sentir um pouco do aconchego de pai e mãe.

Quando cheguei lá, minha mãe havia preparado um belo de um ensopado. Iria cair muito bem depois da viagem e o frio que estava. Fiquei lá todo o final de semana e quando chegou a noite de domingo, tive que voltar pois tinha trabalhado pela manhã. Me despedi e entrei no meu carro e logo segui viagem.

Precisava desse tempo com eles. Foi maravilhoso. Na volta, a estrada estava com uma neblina um pouco mais densa... O ar parecia comprimir meu pulmão e as árvores aos lados, pareciam formas humanóides de pessoas me observando. Coloquei uma música no rádio para me distrair e não ficar com pensamentos idiotas.

No meio da viagem, ao longe, avistei a silhueta de uma pessoa parada na estrada. Acenava constantemente com a mão pedindo carona. Quando cheguei mais perto, vi que era uma jovem muito bonita. Fiquei pensando o que uma jovem linda assim fazia na estrada deserta sozinha!?. Parei o carro no acostamento e perguntei se precisava de ajuda.

Ela disse que estava com alguns amigos no carro seguindo para um acampamento próximo, mas o carro havia quebrado no meio do nada e alguns saíram para pedir ajuda. Como não vi nada de anormal nela e nem na história, falei que a levaria para um local onde pegasse sinal de celular, para então ela ligar para um guincho para vir rebocá-los.

Ela entrou e fomos seguindo em frente. Após ter entrado, não falou mais nada, apenas olhava fixamente para frente, achei isso bizarro, mas para mim estava tudo bem, não tinha visto nada de errado até então. Depois de uns 5 minutos de viagem, não avistei nenhum carro ou alguém mais na estrada. Comecei a ficar com um pressentimento ruim.

Nesse momento me toquei que não havia perguntado seu nome... Virei o rosto para falar com ela e, o que vi no banco do carona não era algo humano. Quando olhei ainda era a garota, mas estava com o rosto desfigurado. Sua pela estava cinza, havia um corte profundo em seu peito e na barriga, em seu rosto estava amostra sua arcaria dentária. Ela olhou pra mim e um odor muito forte tomou conta do carro.

Colocando suas mãos fedidas e com os ossos aparecendo em meu pescoço, ela começou a me enforcar e ao mesmo tempo gritava: "Salve-me..." "Salve-me...". Perdendo o controle do carro, acabei saindo da pista e capotando várias vezes. Fiquei desacordado por algumas horas e, quando acordei, o dia já vinha clareando. Consegui me levantar, mas estava todo machucado, até que algumas pessoas que vinham avistaram o carro e pararam para prestar socorro.

Fui levado ao hospital com alguns hematomas e uma costela quebrado, mas sobrevive. Sobre a garota, descobri que havia ocorrido um acidente de carro naquele trecho a alguns anos. Um casal vinha discutindo quando o homem puxou uma faca e desferiu em sua esposa. Com a briga, o carro acabou capotando e explodindo não deixando nenhum sobrevivente.

Sua alma pega qualquer um que passa por ali como forma de punição pelo o que seu marido havia feito com ela. Os que param para ajudar, são castigados com a própria vida, e ela está fadada a caminhar nessa estrada para sempre.