Desprezíveis criaturas inferiores, desprovidas de conhecimento e lógica. São todos obcecados por poder, como se fisicamente ou intelectualmente fossem superiores umas às outras.

Não entendem de forma alguma que formas de vida de reprodução coletiva e tão acelerada, apenas podem sobreviver se agirem como um só.

Ao invés disso, ignorando sua própria existência, imputam motivos que soam como desculpas esfarrapadas para explorar um grupo que se difere de alguma forma de outro.

Seres humanos... Fizeram com que até mesmo o criador de vocês desistisse de investir em seu progresso. Pobre criação falida, errante, malformada, deficiente e desonrosa.

Eu fiz um favor ao universo iniciando o fim daquilo que causa má reputação à toda existência palpável: a vida humana...

Seus gritos ecoaram até o extremo desta galáxia quando minhas hordas esfolaram toda a pele de vocês, deixando apenas a carne viva purulenta exposta às pragas e impurezas. O tom azulado de sua terra natal, daqui de cima se tornou avermelhado, após meu manto de chamas cobrir toda a superfície.

Agora, dentre todos vocês, alguém é capaz de me dizer quem é quem baseado na cor ou sexualidade? Talvez possa me dizer sobre as riquezas materiais? Insignificantes... Mal podem me apontar sequer quem é homem ou mulher neste estado.

Vou aguardar aqui, contemplando até a queda do último filho de adão enquanto aprecio a música que vocês aqui nomearam de choro. A evolução e eternidade, certamente não é para vocês.