Garota Sem Olhos

comment0visibility47
Há 1 mês

Não deveria ser nada de mais, apenas um banheiro de escola, mas infelizmente, não é. Existe uma história de uma criança que aparece nos banheiros das escolas do Brasil. Confesso que não acreditava nisso, mas mudei minha ideia por assim dizer.

Estudo na escola Osvaldo Magno em Santa Catarina, estou cursando o 7° ano do Ensino Fundamental e esses dias, estão sendo os piores da minha vida, tudo por causa de uma brincadeira idiota.

Estávamos naquela bagunça de adolescentes de ensino fundamental na hora do intervalo. Nossa sala era próximo ao banheiro e em nossa escola, ouvia rumores de que uma aluna havia visto uma criança sem os olhos no banheiro. Lógico que para mim, não passava de uma história pra colocar medo.

Pois bem... Falavam que uma aluna do 8° ano havia saído para ir ao banheiro. Chegando lá, resolveu ouvir músicas no celular enquanto se aliviava. Nesse momento ela ouviu barulhos de passos e uma voz de criança cantarolando levemente uma canção de ninar.

Ela, achando que era brincadeira de suas amigas, pediu para parar batendo forte na porta do box onde estava. A cada grito que ela dava, a voz da criança e os passos se aproximavam. Até que chegando na porta do box, a voz e os barulhos de passos pararam.

Ela, apressadamente, se vestiu e saiu do box, olhou para todos os lados e não viu nada. Quando ela se direcionou para a porta, viu uma criança com um vestido rasgado e sujo de sangue. Em sua face não existiam olhos, apenas uma cavidade escura e sombria. A menina começou a cantarolar novamente a perturbadora música.

De repente, a garotinha desapareceu, assim como havia aparecido, num passe de mágica. Ela saiu correndo aos berros de dentro do banheiro e foi parar na diretoria. Até agora ela não voltou para as aulas e ninguém tem alguma informação dela.

Sabendo dessa história, meus amigos me desafiaram para ir ao banheiro e chamar o fantasma da menininha. Como eu não acredito nessas besteiras, topei, além do mais, valia uma nota a aposta e não ia desperdiçar dinheiro assim. Fui até o banheiro e fechei a porta. Me certifiquei que não havia ninguém.

Entrei em um dos boxs e chamei a garotinha. Era a coisa mais ridícula que já havia feito mas o dinheiro valia a pena. Nós dois primeiros minutos nada aconteceu. Então, senti um vento frio passar por mim. Mas não sei importância. A aposta era ficar o recreio todo, e fiquei. Após o sino bater saí do banheiro contando vitória. Peguei o dinheiro com meus amigos e caçoei da cara de todos eles.

Fui para casa aquele dia feliz da vida. Quando chegou a noite, deitei na minha cama pensando no que iria gastar meu dinheiro que ganhei tão fácil. Senti algo sentar em na cama próximo aos meus pés. Rapidamente me encolhi e fiquei debaixo das cobertas. Então, foi aí que eu ouvi. Ela cantarolava uma música de ninar lentamente. Senti que algo se levantou de estava sentado e veio se aproximando do lado onde está a meu rosto.

A música ficava cada vez mais próximo. Então, ela parou. Ficou tudo em silêncio. Tirei a coberta do meu rosto e olhei para ver se ela estava lá, e ela estava. Deitada do meu lado. Uma criança com a pele pálida, sem expressão no rosto e apenas um vazio no lugar do olhos. Gritei mas já era tarde. Ela enfiou suas mãos pequenas dentro dos meus olhos e os arrancou fora.

Sobrevive se é o que quer saber, mas estou cego, com apenas uma cavidade escura no lugar dos meus olhos.

Tome cuidado ao ir no banheiro de sua escola. Ela vai está lá, sem os olhos, pronta para arrancar os seus... Tape o ouvido quando ouvir ela cantar.