Faria tudo igual, e repetiria no fim

comment1visibility370
Por Chaos
Há 2 meses
Ouça a narração deste conteúdo
play_arrow
stop

Pode parecer que não,
Mas eu realmente sinto sua falta, então...
Não sei se posso considerar,
Mas eu não te odeio, não quero mudar.

Sim, uma mentira, agora acabei de contar,
Eu nunca te amei, e é fácil subjulgar,
Mas esses pensamentos tolos, da sua cabeça, eu não consigo tirar,
Te entrego o último sorriso, esse sorriso falso, então agora vá!

Andei sem rumo, quando o perdi,
Sei que não perdi, eu apenas escolhi.
Escolhi viver de mentiras, e sincero você não foi,
Quando eu passar na rua, olhe meu rosto, e me diga "Oi".

Vivi da maldade, maldade fria,
Que mais parece saudade,
A saudade que bate e rebate, que torce e retorce,
Enquanto ouvia as mentiras, no meio do tempo, tudo se contorce.

Como algo pode mudar?
Se no teu dito cujo amor, eu fui acreditar?
Mas nada nunca muda, e eu não me arrepenado,
Aos poucos os seus pensamentos, eu vou corroendo.

Faria tudo igual, e repetiria no fim,
Ah, como eu queria, tirar isso de mim.
Mas isso é difícil, e indiretas não quero postar,
Quem sabe um dia, tudo isso, eu possa provar.

Afiei a linha de corte, e roubei mais uma morte,
Quebrei a lâmina, da minha faca de ambição,
Já não me importo, não te dou a mão,
Me desculpe, mas para trás, eu não olharei,
Me desculpe, mais uma vez, isso tudo eu terminarei.

Então agora acaba então,
Tenho o seu sangue em minhas mãos,
Não me importo com o que tu diz,
Oque Você vai fazer? Apenas te matei, foi simples o que eu fiz.

Comentários

Anônimo
Poesia excepcional!
12/08/2020