Atualmente tenho 30 anos e moro com a minha filha que nasceu com um problema que deixou sem mão e pés e também a deixou paraplégica. Quando ela nasceu foi um choque para mim ver a recém-nascido sem mãos, pés e com paralisia cerebral. Eu fui a única ficar do lado dela, quando o “pai” descobriu ele se separou de mim alegando que não poderia cuidar dela. 

Apesar do seu problema sem cura, ela sempre deixou claro para mim que o seu amor por mim era real. Porém eu fingia que eu amava a minha filha, mas o ódio me consumia pelo o que tudo aconteceu e também entre eu e seu “pai”. 

Agora eu estou trabalhando em uma empresa e quem cuida para mim é a sua madrinha Susi. Eu saí do serviço mais cedo hj e percebi que havia algo diferente no olhar da Susi e perguntei: 

– Boa noite Susi. Alguma coisa aconteceu? 

– Sim! Eu percebi que a sua filha está agitada e inquieta. 

– Pode me falar quando começou? 

– Estava assistindo TV, de repente eu ouvi uns sons estranhos dentro do quarto e vi que ela não parava de se mexer e tentava falar algo, porém não conseguia. 

– Espera! Isso não é normal Susi. Deve ter acontecido alguma coisa com ela e você não quer me contar. Por favor me conte! 

Antes que ela pudesse explicar fui até o quarto da minha filha, ela estava muito agitada, tentando falar mas não conseguia. Em seguida eu percebi que tinha uma energia muito forte vindo um dos cantos da parede aonde ficava a cama dela, mas eu ignorei e comecei a tentar acalmar ela. 

– Isso não é normal Susi! Ela nunca foi assim, é melhor você ir embora. 

Susi não queria sair de jeito nenhum, mas ela decidiu ir embora para a sua casa. Eu queria ficar sozinha com a minha filha para pensar o que de errado tinha acontecido. Pense, pensei e estava tudo certo, talvez ela estava com fome ou estava querendo alguma coisa. 

Exausta eu fui tomar um banho bem quente, mas a minha mente não parava de dizer que aquela energia baixa que eu tinha sentido era a causa. Mas a minha mente também pensou na Susi, ela estava sozinha e não tinha ninguém por lá. Comecei a me questionar, será que a Susi fez alguma coisa de mal para a minha filha sem eu perceber? Não era possível, ela amava como se fosse uma filha e nunca percebi nada de estranho. 

Eu fui dar uma olhada na câmeras de seguranças para saber a resposta. Me deite, peguei o notebook, entrei no aplicativo e voltei para o horário que eu saí de casa. Tudo estava normal, a Susi tinha feito a mesma rotina de sempre, a tarde também, porém quando o relógio bateu ás 20:00 eu não acreditei no que eu vi. Um demônio tinha entrado no quarto da minha filha, ele tocou nela com suas garras e deu uma gargalhada que só de ouvir eu me tremo toda e sumiu. 

De repente eu senti uma energia muito forte dentro do meu quarto, eu não conseguia me mover e nem falar. De ante dos meus olhos eu vi o mesmo demônio que entrou no quarto da minha filha, ele veio em minha direção e sussurrou no meu ouvido: 

– O problema que atingiu a sua filha foi por minha causa e aquela madrinha que você acha que ama fez um trabalho para acabar com a sua filha. Em breve a sua filha irá morrer! Hahahaha!

Infelizmente aquele ser matou a minha filha, não pude acreditar que ela se foi e me despedi dela com lágrimas nos olhos e disse: 

– Eu te amo, filha!