Todos acreditavam em mais uma profecia furada de alguém querendo apenas um pouco de atenção. Pra falar a verdade, ninguém realmente deu a mínima para o vídeo do pastor falando que no dia 30 de Março coisas terríveis iriam acontecer no mundo inteiro. Pessoas de diferentes raças, cores, etnias, classes iriam morrer no tão terrível dia 30.

Já estávamos sofrendo com toda a situação do caos nas redes de saúde por conta do novo coronavírus e isso já nos bastava para nos preocupar, fora toda a situação de desemprego, preços absurdos nos alimentos e o caminho que isso tudo estava sendo levado. A tal profecia, nesse momento, assim como tudo que acontece no Brasil, se tornou apenas mais um meme a ser compartilhado, mas haviam mais verdade por trás de tudo isso do que poderíamos imaginar.

O dia 29 passou em um piscar de olhos e assim como todos os dias, cheguei do trabalho, tomei um banho e fui assistir algo com minha mãe antes de ir para o quarto e descansar para mais um dia em minha vida. Conversei um pouco sobre a tal profecia com minha mãe e a conclusão que chegamos foi que a bíblia diz que no fim dos tempos haveriam falsos profetas enviados para confundir a mente dos que ainda estavam firmes em Deus, e era o que estava acontecendo nos últimos anos, várias pessoas de dentro da igreja fazendo falsas profecias, então preferimos nos apegar a essa conclusão e continuarmos com nossa vida normal.

Acordei com o alarme do despertador às 6h. Levantei-me, escovei meus dentes e fui tomar meu café da manhã. Não peguei o celular para ver as redes sociais como fazia frequentemente, resolvi deixar para fazer isso quando estivesse no meu horário de almoço. Infelizmente as redes sociais haviam se tornado algo ruim para quem sofre de ansiedade com todas as perdas e aumento de infectados, superlotação nos leitos de hospitais, problemas com as vacinas e todo o resto que já existiam. Resolvi então olhar pouco, por um tempo.

Enquanto tomava meu café, começamos a ouvir barulhos de sirenes de viaturas ou ambulância e já imaginávamos que mais pessoas estavam morrendo, já era comum esse barulho. Minha irmã trabalha na farmácia da nossa tia e sempre sai às 7h, eu saio um pouco mais tarde, às 8h, pois a loja onde trabalho só abre às 8:30h.

O som continuou constante e isso já se tornou estranho para nós. Começamos a ouvir barulhos de explosões vindas ao longe deixando minha mãe completamente apavorada. Rapidamente ela pegou o telefone para ligar para minha irmã para saber se ela estava bem, mas a ligação dava direto na caixa postal. Ela então ligou para minha tia, mas a mesma coisa aconteceu. Minha mãe começou a se desesperar quando começamos a ouvir gritos de pessoas pela rua, tiros e o barulho de sirenes de ambulâncias e viaturas. Abrimos a porta da nossa casa e a cena era de total destruição, pessoas mutiladas jogadas ao chão, sangue escorrendo pelo asfalto, alguns policiais atirando em algo que ninguém conseguia ver, apenas uma fumaça amarela em forma de um homem sentado em um cavalo.

Os tiros passavam direto e não surtiam efeito naquela coisa que com algo nas mãos, cortava e mutilava todos que estavam nas ruas. Minha mãe caiu desmaiada no chão com todo o nervosismo e pavor. Chamei minha outra irmã que ainda não havia saído para o trabalho para ficar com nossa mãe. Ela perguntou o que estava acontecendo e a única coisa que eu poderia dizer para ela era que a promessa que ninguém havia dado importância, estava acontecendo em todo o mundo.

No vídeo, o pastor relatava que no dia 30, após às 00h, quem estivesse nas ruas de todo o mundo, iria morrer pela espada do cavaleiro da morte e que era para todos não saírem de suas casas, pois esse seria o dia em que a ira do Senhor sobrevinha sobre toda a face da terra. Ninguém nunca poderia acreditar que isso poderia acontecer realmente, muitos já haviam profetizado coisas que nunca vieram a acontecer, por conta disso essa profecia não foi levada a sério.

Olhamos nas redes sociais e muitos vídeos e fotos foram postadas, pessoas relatando no mundo inteiro que o cavaleiro da morte estava livre pelo mundo matando todos que encontrava nas ruas. Minha irmã e minha tia e as outras funcionárias dela não sobreviveram a esse massacre e infelizmente não poderíamos fazer nada. Alguns ainda se arriscaram em sair de casa desesperadas tentando ajudar quem ainda agonizava no chão, ou para correr atrás de seus familiares, mas não conseguiam chegar muito longe. Assim que elas pisaram fora de suas casas, conseguiam andar alguns metros apenas e eram mutiladas por aquela fumaça amarela.

A única coisa que se poderia fazer naquele momento era esperar o tão tenebroso dia 30 passar e orar para que Deus poupasse os que ficassem dentro de suas casas. Infelizmente ninguém acreditou na profecia, e assim como um assassino sanguinário, o cavaleiro da morte veio e matou a todos que não ouviram o que fora dito.

E se fosse verdade?