Era dezembro de 1988, eu já não era uma criança mas também não chegava a ser tão velho. Posso dizer que foi a minha pior época e meu pior pesadelo, eu senti aquilo em vida e não desejaria para o meu pior inimigo. Antes de começar a contar minha história eu gostaria que você deitasse e fizesse uma reflexão sobre o que dizem existir no céu e no inferno, essa história pode tirar seu sono e causar delírios. Se estiver sozinho em casa, tome cuidado.

Eu era o pior homem na terra, eu era a pior alma que reencarnou, eu era o mais falso de todos e acima de tudo e todos, eu era o pior dos assassinos. Não fazia por maldade, mas era tão bom sentir meu sangue ferver ao olhar nos olhos de quem eu matava, era tão bom sentir o puro mal percorrer por meu corpo, era como ser possuído e depois não sentir remorso algum. Porém isso não acontece mais, eu me arrependo amargamente, eu não queria ter sido assim

Naquele ano e mês, já não existia crença nenhuma para mim. Ousasse falar de Deus e Diabo ao meu lado que eu ousaria rebater dizendo que são apenas histórias para crianças sentirem medo, algo que virou moda. Mas não é bem assim, depois de tanto tempo na terra eu comecei a cair no automático e esperar pelo dia em que recebesse a visita da morte para finalmente ir embora. Como todo homem cansado, fui para um bar e foi lá que comemorei minha ultima noite, mesmo que não soubesse que seria meu fim. 

- Hoje será meu ultimo dia aqui, a partir de amanhã serei um novo homem e irei frequentar a igreja. - Algum dos bêbados de lá falou.

- Homem, senta-te e fique calado. Metade de vocês passam a vida orando e seguindo a um homem que sequer existe ou atende suas orações, já a outra metade escolhe o caminho das sombras e segue um ser que se diz ruim e também nunca mostrou sua face a nós atuais vivos! No dia em que Deus for tão bom quanto eu tirando o sofrimento das pessoas e o Diabo tão ruim quanto meu espirito, poderão os dois levar minha alma ao inferno e acorrentar-me durante toda a eternidade.- respondi.

Naquela noite, cansado de sentir olhares de julgamento sobre mim eu resolvi voltar sozinho na escura noite, eu me sentia voando e sabia que era efeito da bebida. Minha calmaria acabou quando cheguei em casa e sentei-me na poltrona assim sendo esmurrado pela profunda ressaca que já teria me atingido. Fechei meus olhos por um longo momento, ao abrir os mesmos vi uma dama, uma linda dama sentada a minha frente, ela segurava uma rosa em sua mão e me encarava. Pisquei várias vezes tentando colocar na minha mente que era efeito do álcool, mas ela continuava lá, ao seu redor começavam a surgir crianças secas, tão secas que pareciam ter passado mais de 5 anos de fome. Tal mulher se levanta e dessa vez a rosa era uma faca que aparentemente estava afiada, ela começa a tirar pedaços de si mesma e dar as crianças que devoravam sem pensar no que comiam, seus gritos estridentes me deixavam desnorteado, meus ouvidos e olhos agora sangravam, foi quando ela caiu no chão e sumiu junto as crianças.

Um grande homem então surgiu, suas características me deixavam impressionado, era alto e belo, seu corpo parecia ter saído de uma pintura antiga e seu rosto esculpido, ele era uma obra prima. Isso durou pouco tempo, ele se tornou num horrendo e podre monstro, enormes chifres saíram de sua cabeça, seus pés e mãos já não eram humanos e seu rosto parecia mais com o esqueleto de animal, assim como seu corpo que agora se tornara maior e teria um grande rabo, sua pele tomou um leve tom avermelhado e fedia como enxofre, ele era gigante. Outro homem apareceu ao seu lado mas dessa vez continuou com a mesma aparência, olhos claros, cabelos tão dourados quanto o sol e suas características se assemelhavam com a do outro homem no começo. 

- Você se arrepende?- O homem ao lado falou. 

- De que eu deveria me arrepender? O que diabos é isso?

- Você não acredita em nossa existência? Em nossos poderes e desejos? Em meu nome, se arrependa ou morra. - Uma voz arrastada e estrondosa vinha do horrível monstro.

Eu estava confuso, meus ouvidos e olhos sangravam cada vez mais e minha visão já estava embaçada. Eu ouvia vozes, gritos, sussurros e barulhos aterrorizantes, eu via pessoas me encarando e barbaridades se passavam diante dos meus olhos, coisas acontecidas em outras décadas. Mulheres fizeram um circulo ao meu redor e recitavam a frase ´Pie Pellicane Jesu Domine` e homens atrás gritavam ´In Nomine Dei Nostri Satan Lucifer Excels`. A partir daqui eu já sabia o que estava acontecendo, eu percebi que teria recebido a visita de Deus e do Diabo, nessa hora eu passei a me arrepender de todas as vezes em que duvidei e de todos os pecados que eu já teria cometido. 

- Segure em minha mão, filho. Me peça perdão.

- Segure em minha mão, pecador. Me peça misericórdia.

As falas eram tão diferentes, meu arrependimento já não era tão evidente, se eu queria ir aquela era a hora. Os empurrei deixando quem eu achava ser o Diabo ofendido, ele me encarava e soltava berros horrendos, meu corpo parecia ser rasgado por dentro, eu sangrava e gritava alto. Não poderia acreditar que os mais famosos rivais fizeram uma aliança somente para me punir, as pessoas já não recitavam mais nada e sim me encaravam e viam sofrer. 

- Eu te dou misericórdia, filho. Eu te dou o meu perdão, porém pagará por seus pecados em calabouço profundo. 

- Queime no fogo do inferno!

Eu acordei com os braços presos, eu sentia calor, eu sentia dor e sentia feder o ambiente. Eu me via sendo arrastado em meios a monstruosidades que pulavam e dançavam, alguns me encaravam e eu sentia, sentia meu corpo arder e os olhos de quem me olhava desejar minha punição. Fui acorrentado em meio a tantas outras pessoas que sofriam tanto quanto a mim ou até mesmo mais, existiam demônios que se viam punindo, queimando e maltratando pessoas que pelo que via já estavam ali a mais de uma eternidade. 

- Aqui será seu eterno sofrimento, acorrentado pela eternidade até o dia em que irá ser punido e castigado até sua alma não suportar mais. 

- MORRA, INFELIZ!

Eu fiquei acorrentado por mil décadas até o dia de receber minha punição, agora eu já não duvidava mais e sim me arrependia, minha alma não suportou e apenas o corpo ficou para ser queimado. Antes de ir, deixe-me fazer uma pergunta, você acredita em Deus e no Diabo?