Cuidado com o Quarto

comment2visibility71
Há 1 mês

Minha família sempre foi muito cética a respeito de fantasmas, maldições e outrem, mas eu nunca deixei de acreditar nisso pois, sempre sentia algo estranho quando olhava para o quarto dos meus bisavós na parede da sala.

Era um quadro de pintura antiga que provável todos ter em suas casas. O olhar sereno da minha bisavó me encarando me dava calafrios toda vez que os olhava naquele auto retrato com cores simples e fracas.

Sabia que algo tinha de errado com aquele quadro. Certa vez, ele estava a me observar... Entrei na sala e vi seus olhos acompanhando meus passos, a cada movimento eles se direcionavam para mim. Tinha pesadelos com as imagens saindo da parede e dilacerando minha carne.

Tudo estava indo bem, até chegar em casa depois da aula. Entrei e a primeira coisa que vi foi o quadro... VAZIO!! Não tinha imagem... A foto dos meus bisavós havia sumido de lá e a única coisa que ali estava era um papel de parede cinza.

Tive calafrios no instante em que entrei. Fui em direção ao corredor e, em meio a escuridão, vi a silhueta dos meus bisavós em pé. Eles estavam de costa olhando para um corpo caído e no mesmo instante, congelei por completo. Não consegui entender o que acontecera...

Recuei em direção a porta quando aquelas sombras viraram de frente para mim. Eles tinham olhos vermelhos que brilhavam em meio as trevas. Seus dentes eram afiados e um líquido saía pelo canto de suas bocas. Tremendo como estava, tirei bem devagar meu celular do bolso e liguei a lanterna, então, eu os vi. Eram duas formas bizarras de pessoas. Se assemelhavam aos meus bisavós mas não eram seres humanos. O corpo que estava no chão era o do meu pai, dilacerado, em uma possa de sangue e sem vida.

Corri para a porta e ela se fechou bruscamente em minha frente. Corri então para a cozinha e lá estavam os corpos da minha mãe e minha irmã, com suas gargantas cortadas e olhos arrancados. Olhei para trás e lá estavam eles, aquelas formas de monstros olhando para mim. Do mesmo jeito do quadro, mas mais bizarros com dentes afiados, olhos vermelhos e expressão de morte. Tentei fugir mas minha única passagem estava sendo bloqueada por eles dois.

Foi nesse momento que senti sua mão atravessar meu estômago. Com sangue jorrando pela minha boca, caí no chão. Vi quando eles se aproximaram de mim e, bem devagar, começaram a dilacerar minha pele e beber meu sangue.

Só um conselho: Não olhe nos olhos desses quadros, pois você poderá ser o próximo.

Comentários

Anônimo
Que horror! Vou tacar fogo em todos os quadros velhos que encontrar na minha frente.
17/01/2021
Anônimo
Sensacional
21/01/2021