Bom, ela não é perfeita, mas me deixa completamente perdido em meus pensamentos, me fazendo apenas sonhar com o dia que poderei conhecê-la. Tudo começou aqui mesmo, dentro deste aplicativo onde muitas coisas acontecem, às vezes boas, outras ruins, mas que deixa marcada nossas vidas com pessoas fantásticas e incríveis.

Talvez você possa está lendo e pensando: “cara, aqui só tem gente estranha, como poderia me sentir bem em meio a tantos retardados?” confesso que, se estiver pensando assim, é porque você ainda não olhou do jeito certo, mas se olhar melhor, as coisas mudam.

Entrei no Reddit a mais ou menos dois anos e meio e desse tempo pra cá, muitas coisas aconteceram, tive histórias minhas publicadas em sites e fóruns, participei da criação de um aplicativo de terror, tive histórias narradas por youtubes e por aí vai, mas a melhor coisa foi conhecer Anna, uma garota simpática, engraçada, com um fraco por pônei e unicórnios, mas com imperfeições que fazem dela única e exclusivamente incrível.

Não lembro ao certo como tudo começou, mas desde quando começamos a conversar, fui me apaixonando por ela de uma forma inexplicável. Ela tem esse tipo de dom que nos faz querer se aproximar ainda mais. Já fizemos várias coisas juntos, mesmo estando distante, já assistimos filmes, lemos livros que um indicou ao outro, já nos aconselhamos, estávamos naquela vibe de um “relacionamento virtual” que estava dando super certo.

Sabe? O tipo de casal retardado que bagunça um com o outro mais está sempre feliz e se amando, não importando a distância? Então, é mais ou menos assim. Conversamos quase todos os dias, se não for todos os dias. Às vezes chego cansado do trabalho e mando apenas uma mensagem para ela dando boa noite, quando acordo pela manhã, sempre tem uma mensagem de carinho que deixa meu dia muito melhor. Ela faz o meu dia melhor.

Uma garota comum com sonhos, desejos, mas que nunca a vi pessoalmente, apenas por fotos, mas isso já estava prestes a mudar, pois iria embarcar em uma jornada para encontrar a garota que fez meu coração bater mais rápido e mais lento ao mesmo tempo.

6:30h da manhã de uma sexta-feira, ouvi a voz da mulher dizer que meu vôo já estava prestes a sair que era irmos para o portão de embarque. Estava nervoso e completamente desesperado por não saber o que me aguardava, mas estava disposto a isso. Já havia conversado com ela, pegado todas as informações e endereços e a única coisa que estava nos separando nesse momento, era apenas um vôo.

Ele durou mais ou menos 10h, cheguei ao aeroporto da cidade onde ela morava por volta das 16:30h, suando frio e pensando se ela iria gostar do que iria ver, nunca havia feito isso na vida e estava sendo uma aventura e tanto.

Desembarquei e a procurei por todo o saguão do aeroporto, mas não a vi em nenhum lugar. Ela não tinha me avisado que estaria aqui realmente, então fiquei tranquilo. Saí e peguei um táxi dando todas as coordenadas de onde Anna morava, havia comprado um presente para ela e estava ansioso para ver sua expressão de felicidade assim que recebesse.

Fiquei no táxi por cerca de uma hora até que ele parou em frente a um prédio com grades e um porteiro sentado lendo um jornal, olhei no relógio e já passavam das 17:30h. Paguei e desci do carro agradecendo o taxista logo em seguida. Vim conversando com ela por mensagem desde quando saí da minha cidade, ligava, mas misteriosamente ela não atendia, só dizia que não podia atender naquele momento, mas poderia falar por mensagem apenas, estranhei, mas entendi.

Mandei mensagem dizendo que havia chegado, ela disse para falar com o porteiro e dizer que gostaria de ir ao apartamento 56, então foi o que fiz, ele pegou o telefone e ligou diretamente para o apartamento, falou algumas coisas e me disse que minha entrada estava liberada, vi em seu rosto uma expressão de confuso, não entendi o porque, mas não dei muita bola pra isso.

Peguei o elevador torcendo para que tudo desse certo e pudéssemos ter um encontro inesquecível. Assim que encontrei o apartamento com o número 56 na porta, parei logo a frente me preparando para o momento tão esperado. Bati na porta e alguns segundos se passaram quando uma senhora, não tão senhora assim, abriu a porta e perguntou se poderia ajudar. Disse que era um amigo de sua filha, antes que eu continuasse, sua expressão mudou radicalmente para um mais sério.

Ela perguntou novamente quem eu era e porque estava ali. Obviamente, estranhei a reação dela e do porquê dela ter ficado tão exaltada assim. Tornei a falar que era um amigo de sua filha, ela então bateu a porta na minha frente dizendo para eu ir embora, fiquei sem entender e bati na porta novamente, no mesmo instante mandei mensagem para Anna, mas ela não me respondeu mais. Tudo aquilo estava uma confusão em minha mente.

Após alguns minutos, a senhora abriu a porta novamente dizendo que havia ligado para o porteiro e que ele havia autorizado minha entrada depois que falou com uma menina pelo telefone. Ela então olhou para mim com os olhos lacrimejados e tornou a perguntar quem eu era, falei novamente que era um amigo de sua filha e continuei perguntando o que estava acontecendo.

A senhora então disse que sua filha havia morrido há 10 meses em um acidente de carro. Eu dei alguns passos para trás em choque. Foi quando veio à minha mente que eu havia começado a conversar com ela há exatos 10 meses atrás. Abri o celular para ver as fotos e não havia mais nenhuma, as mensagens só estavam as minhas, sem nenhuma resposta dela, os áudios que ela me mandava só havia estática neles e mais nada.

Pedi desculpas pelo incomodo e saí de lá rapidamente sem ver o chão em meus pés, sem ao menos dar qualquer explicação para a senhora. A pessoa por quem me apaixonei, a pessoa que dizia “eu te amo” antes de dormir e ao acordar não existia. Não conhecia a cidade e ninguém ali, estava sem rumo algum, com o coração partido e mergulhando em uma tristeza profunda. Fui para uma ponte próxima e me sentei na praça, olhei para o relógio e já se passava das 20h, meu celular vibrou com uma notificação de mensagem, olhei e havia seu nome lá, Anna.

Abri e assim dizia: “Me perdoa. Eu não podia lhe contar, pois sabia que não falaria mais comigo. Três dias depois que começamos a conversar, sofri um acidente de carro e não sobrevivi, já estava apaixonada por você, pelo seu jeito, sua voz, seu rosto, como me ouvia e como você conseguia me acalmar nos meus momentos de aflições. Só gostaria de agradecer a você por tudo e pedir desculpas por não ter ido ao nosso encontro. Te amo.”

Aquelas palavras foram como facas em meu coração, mas não no sentido de me machucarem, e sim com uma sensação boa de me sentir amado. Em meio às lágrimas, um sorriso brotou em meu rosto, meu coração estava aquecido agora e pela primeira vez, senti que havia encontrado meu verdadeiro amor.

Agora aqui, sentado à beira da ponte, escrevo a vocês para que todos entendam o motivo de ir ao encontro dela. Peço perdão a todos os meus amigos e familiares que sofrerão com minha partida, mas preciso ir encontrá-la, pode não ter sido aqui, em vida, mas estarei junto a ela em outro lugar. Amo vocês.

Com amor, Dean...


O corpo de Dean Winchester foi encontrado na manhã seguinte. Inexplicavelmente seu celular ainda estava ligado e com a tela congelada em uma mensagem que dizia: “Estou indo meu amor. Te amo.”. A carta acima foi publicada em todas as suas redes sociais segundos antes dele pular.

Em vida nasceu um amor, amor esse tão forte que mesmo nunca ter visto, ele foi capaz de entregar a vida para encontrar quem ele amava, um amor que vai além da morte.